Receitas De Papinhas Para Bebê

Seu bebê já entrou na fase dos alimentos sólidos? Chegou a hora de você aprender como fazer papinha para bebê e preparar deliciosas receitas para o seu pequeno.

papinhas para bebe

Os primeiros anos de vida da criança são preenchidos por diferentes etapas, novidades e descobertas. Os pequenos aprendem a sorrir, pegar objetos, fazer movimentos complexos, sentar, engatinhar, andar, falar... Enfim, aprendem a viver!

A alimentação também é modificada de acordo com a fase, a idade e a dentição do bebê. E isso inclui uma série de mudanças na rotina, e de aprendizado, tanto para a criança quanto para a mãe (ou cuidador mais próximo).

Neste artigo, você verá quais são as possíveis dificuldades da fase de introdução de alimentos sólidos, quais os alimentos mais indicados e os que devem ser evitados, e aprenderá como fazer papinha para bebê com receitas fáceis e saborosas.

Acompanhe!

Quando oferecer as primeiras papinhas para o bebê?

A pergunta que muitas mamães de primeira viagem fazem é: “Quando eu posso colocar outros alimentos, além do leite, no cardápio do meu filho?”.

O Ministério da Saúde e a OMS- Organização Mundial da Saúde indicam o aleitamento materno como fonte exclusiva de alimentação para o bebê até os 6 meses. Essa recomendação também é válida para o uso de fórmulas (leite artificial), no caso das mães que não podem amamentar.

Após esse período, outros alimentos precisam ser introduzidos na dieta da criança, já que o leite já não contém mais todos os nutrientes necessários para o crescimento saudável do bebê. O aleitamento (materno ou por fórmulas) torna-se complementar, devendo ainda compor o cardápio até os 2 anos da criança, ou mais.

Antes dos 6 meses o sistema digestivo do bebê não está preparado para receber outros alimentos, assim como o organismo ainda é frágil e suscetível a contrair infecções e alergias dependendo da alimentação.

Muitos pediatras liberam a inclusão de alguns alimentos, como papinha de fruta e sucos, a partir dos 4 meses, principalmente no caso das mães que precisam retornar ao trabalho antes dos 6 meses da criança.

Se você tem dúvidas se o seu bebê está pronto para experimentar novos alimentos, observe alguns sinais, como:

  • Ele já tem o controle da cabeça? Consegue mantê-la continuamente erguida?
  • Já consegue sentar-se com apoio?
  • Faz movimentos de deglutição e mastigação?
  • Dobrou o peso desde o nascimento?
  • Tem curiosidade quando vê alguém comendo?

Estes são alguns indicativos de que a criança está apta para começar a fazer mudanças na alimentação.

Como iniciar a introdução de novos alimentos na dieta do bebê?

Paciência é a palavra-chave na hora de oferecer as primeiras papinhas para o bebê. Nem sempre essa é uma missão fácil, nem sempre os pequenos aceitam o que lhes é oferecido na primeira tentativa. E quando aceitam, prepare-se para longas e demoradas refeições, até horas, para que ele consiga comer mínimas quantidades.

É bastante comum que os bebês rejeitem as primeiras papinhas. Compreenda, tudo é novidade para eles. Mas não se desespere, isso é só no início. Depois de alguns dias eles ficam cada vez mais espertos para limpar o pratinho.

Nas primeiras refeições eles podem cuspir, fazer cara feia, chorar, ou podem apenas querer brincar com a comida, explorar, conhecer. Seja paciente, eles precisam aprender com calma e desenvolver uma relação prazerosa com os alimentos. Nunca, jamais force um bebê a comer.

Aqui vão algumas dicas importantes para a fase de introdução alimentar:

  • Não bata os alimentos no liquidificador ou processador. A criança precisa ser incentivada a mastigar.

Você pode pensar que a papinha batida ou triturada irá facilitar a alimentação do seu filho, mas isso pode prejudicar o desenvolvimento dele. Inclusive, existem crianças com mais de dois anos que ficam habituadas às refeições batidas e rejeitam alimentos em outras texturas.

  • Evite papinhas industrializadas, é essencial que o bebê se acostume desde cedo a consumir os alimentos in natura, especialmente as frutas.
  • Entenda que os bebês não precisam de grandes quantidades de comida, principalmente nas primeiras papinhas. O mais importante é que eles aprendam, primeiramente, a gostar do sabor dos alimentos.
  • Evite distrações na hora da papinha do bebê. Esse momento deve ser prazeroso e com foco na refeição, longe de celulares, tablets ou televisão.
  • Deixe a criança se sujar, brincar e se lambuzar com a comida. Deixe que ela pegue os alimentos com suas próprias mãozinhas, isso incentiva a autonomia e torna o momento mais divertido.
  • Cuidado com o acréscimo de temperos. Para fazer papinha para o bebê só é necessário o mínimo de sal (nas refeições salgadas) e nada de açúcar (nos sucos e papinhas de fruta). Os pequenos precisam conhecer o sabor natural dos alimentos.

Alimentos que não podem faltar na papinha do seu bebê

Bons hábitos vêm do berço! Consumir alimentos saudáveis desde os primeiros meses de vida é fundamental, tanto para desenvolver um comportamento alimentar equilibrado quanto para adquirir os nutrientes necessários para o crescimento saudável e a prevenção de doenças.

Na hora de preparar as melhores papinhas para o seu bebê, os seguintes alimentos não podem faltar:

  1. Frutas

Muitos pediatras iniciam a introdução de alimentos sólidos pelas frutas, preferencialmente dois tipos diferentes por dia.

As frutas são fontes de vitaminas essenciais para a saúde, além de serem saborosas. As mais indicadas para as primeiras papinhas são: maçã, pera, banana, mamão e suco de laranja-lima.

  1. Legumes

Ao fazer papinha para bebê, capriche nas combinações. Inicialmente, você pode misturar apenas dois tipos de alimento para que a criança identifique melhor os sabores. Depois disso, aposte nas variações para um cardápio bem diversificado, com novidades para o seu pequeno.

Legumes não podem faltar na papinha do bebê: cenoura, chuchu, abobrinha, abóbora, brócolis, couve-flor, tomate, beterraba e muitos outros, são exemplos de alimentos com alto valor nutricional.

  1. Grãos, cereais e tubérculos

Feijão, ervilha e lentilha são fontes de proteína vegetal e devem ser incluídos no cardápio do bebê com liberação do pediatra, e sempre bem amassadinhos para evitar riscos de engasgos.

Arroz, macarrãozinho, batata, batata-doce, mandioca, mandioquinha são alimentos ricos em carboidrato, fonte de energia, e também devem complementar a papinha do bebê.

  1. Carnes e peixes

Carnes são ricas em proteínas e outros nutrientes essenciais para o crescimento saudável da criança. Importante dar preferência aos alimentos menos gordurosos como peito de frango e cortes bovinos magros.

Peixes são fontes de aminoácidos essenciais e possuem baixo teor de gordura, mas é necessário observar possíveis reações alérgicas, portanto converse com o pediatra antes de introduzir esse alimento na dieta do bebê.

  1. Água

Quando começar a oferecer papinha para o bebê, você não pode esquecer-se de dar água.

O leite materno, exclusivo até os 6 meses, possui todos os nutrientes que a criança necessita, dispensando até mesmo a água.

Ao introduzir outros alimentos, também é necessário que a criança aprenda a beber água regularmente, em pequenas quantidades, mas que seja oferecida várias vezes ao longo do dia.

Alimentos que devem ser evitados

Atenção: cuidado com alguns alimentos que podem ser prejudiciais para o seu bebê. Evite, ao menos antes de um ano de idade, oferecer os seguintes alimentos à criança:

  1. Leite de vaca e derivados

O famoso leite de caixinha, assim como margarina, manteiga, iogurte, requeijão e queijo, devem ser evitados nos primeiros meses da criança.

A SBP- Sociedade Brasileira de Pediatria alerta que o leite de vaca integral é pobre em ferro e zinco, o que pode causar anemia ferropriva.

  1. Excesso de sal

O Departamento de Nutrologia da SBP afirma que “a excessiva ingestão de sódio por lactentes está associada com o desenvolvimento de hipertensão arterial”.

Portanto, é recomendado que o sal não seja adicionado às papinhas, ou que ao menos o excesso seja evitado.

  1. Açúcar

Não há a mínima necessidade de oferecer doces para um bebê. Se ele nunca experimentou, não conhece o sabor e não vai ficar doente ou com vontade.

O açúcar está incluso na seguinte recomendação da SBP “alguns alimentos não devem ser dados para a criança pequena porque não são saudáveis, além de tirar o apetite da criança e competir com os alimentos nutritivos e estão associados à anemia, ao excesso de peso e às alergias alimentares”.

  1. Mel

Se o mel é um alimento natural, por que deve ser evitado? A Anvisa responde:

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda que crianças com menos de um ano de idade não consumam mel. O objetivo da orientação é prevenir a ingestão de esporos da bactéria Clostridium botulinum, bacilo responsável pela transmissão do botulismo intestinal [...] O botulismo é uma doença neuroparalítica grave [...] Nas amostras de alimentos é comum encontrar formas esporuladas do Clostridium botulinum, em especial no mel [...] O botulismo intestinal é um modo de transmissão do botulismo e ocorre com maior frequência em crianças com idade entre 3 e 26 semanas.

Fonte: Anvisa.

Receitas de papinha para bebê

Quer aprender como fazer papinha para bebê de 6 meses?

Você já obteve informações sobre os alimentos que devem integrar o cardápio do seu filho e os que devem ser evitados. Agora, vamos à parte prática da história, vamos às receitas de papinha para bebê.

Aqui, apresentaremos algumas receitas fáceis para você começar a introdução alimentar do seu pequeno. Trata-se apenas de uma base, depois disso você poderá experimentar novas combinações de alimentos para enriquecer o cardápio do seu bebê.

  1. Papinhas de frutas

Quando começar a oferecer papinha para o seu bebê, inicie com as frutas. Não tem nenhum segredo, você pode amassar uma banana com um garfo ou raspar uma maçã, por exemplo.

  1. Papinha de batata, cenoura e frango

Cozinhe 100 gramas de peito de frango com um fio de azeite e uma pitada de sal (se preferir). Desfie em pedacinhos bem pequenos e reserve.

Na água do cozimento do frango, cozinhe uma batata média e meia cenoura picadinha. Acrescente o frango desfiado, amasse bem com o garfo e está pronto.

Mesmo utilizando mínimas quantidades de alimento, o resultado ainda é superior ao que o bebê precisa em uma refeição. Então, para não desperdiçar, você pode congelar a papinha pronta em pequenos potinhos.

Algo em torno de cinco colheres rasas de sopa já é o suficiente por porção. Entretanto, consulte o pediatra para saber a melhor quantidade de papinha de acordo com o peso do seu bebê.

  1. Papinha de abobrinha com arroz, feijão e músculo bovino

Doure 1 dente pequeno de alho em um fio de azeite, acrescente 100 gramas de músculo bovino em cubos, um copo de água, uma pitada de sal e cozinhe na pressão por 10 minutos, para que a carne fique desmanchando.

Depois disso, na mesma panela, acrescente meia abobrinha picada e cozinhe até que fique macia. Junte uma colher de feijão já cozido e uma colher de arroz pronto. Amasse bem antes de oferecer a papinha para o seu bebê. Cuidado para que não fiquem grãos inteiros.

É sempre importante conversar com um pediatra antes de começar a fazer papinha para o bebê. Existem diferentes opiniões médicas. Alguns recomendam o consumo do feijão, por exemplo, apenas após os nove meses.

  1. Sopinha de macarrão, tomate e mandioquinha

Doure uma colher de cebola ralada em um fio de azeite, coloque uma mandioquinha pequena cortada em pequenos cubinhos e cozinhe até que ela comece a amolecer. Junte meio tomate picado (sem pele e sem sementes), dois copos de água e ferva. Acrescente meia xícara de macarrão ave maria e deixe cozinhar.

Cardápio para bebê de 6 meses

Já sabe fazer papinha para o bebê de 6 meses? Vamos a um exemplo de rotina alimentar.

O cardápio para o bebê de 6 meses pode ser seguido da seguinte forma:

- Café da manhã: leite (materno ou fórmula);

- Lanche da manhã: meia banana amassada;

- Almoço: papinha de batata, cenoura e frango;

- Lanche da tarde I: leite;

- Lanche da tarde II: suco de uma laranja-lima;

- Jantar: papinha de abóbora com caldo de músculo;

- Antes de dormir: leite.

A papinha para o bebê de 7 meses não tem grandes alterações em relação à papinha para o bebê de 6 meses. Em geral, diferentes alimentos são acrescentados somente após o oitavo ou nono mês, dependendo das recomendações do pediatra.

Agora que você já sabe quando e como começar a introdução de alimentos sólidos, e já aprendeu como fazer papinha para bebê e quais alimentos devem compor o cardápio do bebê de 6 meses, é hora de colocar o conhecimento em prática. Mãos à obra!

Lembre-se que paciência é a palavra-chave nessa fase, e não se esqueça de diversificar o cardápio e proporcionar novas e deliciosas experiências para o seu pequeno.

Quer Aprender A Preparar Receitas De Papinha Incríveis Para O Seu Bebê ? Clique No Botão Abaixo Do Vídeo

papinha para bebe